quinta-feira, 21 de maio de 2009

Quase

São Paulo, 21 de Maio de 2009.

20h00

"É fácil converter os outros. É tão difícil converter a si mesmo."
(Oscar Wilde)


Jamais namorei... nunca tive um namorado de verdade... não passou a experiência (90 dias e algumas transas)...

Depois dessa constatação, me pergunto porque tantas palavras jogadas ao vento... porque tantas lágrimas que insistiram (?) em sair sem um real motivo...

Tantos dramas... melancolia fabricada? Serei um impostor?

Não... não me acho tão criativo assim...

É que me cansam os "rompimentos" de algo que nunca existiu... os "términos" de algo que jamais começara...

Os "quase-amores" que nunca senti...

As vezes tento fazer mea culpa, pesando mais para o meu lado, sou chato, possessivo, carente, isso e aquilo... tentando me fazer indesejável e encontrando uma justificativa para o simples (?) fato que não me querem, quiseram, queriam...

...quererão?


Greco.

3 comentários:

Ademir disse...

Olá
Você já visitou meu blog (myr.blog.uol.com.br) algumas vezes. Agora estou aqui. Gosto das coisas que escreve, têm profundidade de sentimentos. Tem perfil no Orkut para que eu possa conhecê-lo um pouco mais?
Abraço
Ademir

Ademir disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Oi amigo... Achei ótimo o que escreveste, mas não esqueça, nunca, o que conversamos ontem: há tempo de espera, há tempo de trocar os pés pelas mãos... e há também o tempo de lamentar a insistência em algo que não nos faz bem. Um abração