segunda-feira, 20 de outubro de 2008

"Deixa, deixa, deixa, eu dizer..."

São Paulo, 20 de Outubro de 2008.

14h00

Não sei dizer o que é essa estranha sensação...
Sentida já há algum tempo...
Não é mais aquele vazio conhecido, oriundo de possíveis expectativas geradas do nada... não correspondidas...

Talvez por isso é estranha...

Quando se acostuma com algo e o diferente surge, é perturbador... inquietante...

Essa sensação me causa confusão pois antes era mais fácil me refugiar em "pseudomelodramas", "pseudodepressões" e por ai vai...

Agora não posso mais fugir... minha racionalidade e praticidade me assustam tanto que me sinto frio... talvez minha "blindagem" não seja tão superficial quanto eu imaginava e isso me causa estranheza... por quiçá não me conhecer mais...

Ou descobrir que não sou o fraco que aparentava...

O que aconteceu àquele Greco em sua busca incessante por algo que nunca esteve ao alcance?

Aprendeu que o amor não se procura?

Se acha...(?)

Aprendeu que o amanhecer vem logo depois da parte mais escura da madrugada?

Que vive-se um dia de cada vez...

Talvez...

Greco.

5 comentários:

Jarbas disse...

essas são as lições que todos nós veriamos aprender.

;)

estava com saudades de seus textos.
ótima semana, moço.

Râzi disse...

Bem, toda mudança é boa!!!

Mesmo que não a entendamos!

Beijão, querido!

MANS / ANDRÉ disse...

o amor não se acha
amor acontece... todo dia de cada vez

bjão!!

FOXX disse...

o greco cresceu...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Tantas descobertas.
Tantas lições na escola-vida.

Quem sai ganhando, afinal de contas, é você mesmo...

Cada vez maior. Mais inteiro!

...